Menu
Your Cart

La Cacciatora Moscato D'Asti

La Cacciatora Moscato D'Asti
La Cacciatora Moscato D'Asti

Descrição

De 1897 ao segundo período do pós-guerra Em 1897, era apenas uma taça de vinho, uma taberna Brianza em Contra, o povoado de Missaglia, onde ainda está localizada a atual vinícola Caldirola. Foi precisamente ali que Ferdinando Caldirola começa a história que unirá sua família por três gerações à mesa italiana. Desde os anos quarenta com seu filho Gaetano, o ponto de encontro foi transformado em um ponto de venda mais articulado, uma delicatessen que envolve todo o grupo familiar.

Nos anos sessenta, sete colaboradores começaram a engarrafar com ele. O equipamento era manual, o caminhão ainda é o único a transportar vinho da estação ferroviária para Missaglia. As pequenas empresas trabalham, as tabernas da região apreciam os tambores, os garrafões, mas também as garrafas. Ainda não há etiqueta, mas cápsulas coloridas para distinguir as videiras e no vidro de relevo "Vini Caldirola". Os formatos reduzidos, o quartini, conquistam um novo tipo de clientela e os negócios das cantinas da empresa se abrem. Na década seguinte, os nomes se tornarão importantes: Innocenti, Alfa, Bianchi, Falk, Pirelli, Vismara ...

Com os anos setenta, mais e mais fábricas de engarrafamento tecnológicas chegaram para completar a automação. A vinícola Vercelli, na província de Gattinara, faz parte da equipe de produção e é destinada à fermentação natural. Os novos locais de compra se espalham rapidamente e estão disponíveis para serem conquistados. O varejo em larga escala é o novo destino e Nando Caldirola está pronto para alcançá-lo. O rótulo "La Cacciatora"torna-se protagonista das iniciativas promocionais que a partir de agora se tornarão as escolhas usuais das marcas mais importantes. A qualidade é acompanhada de um bom preço e a variedade se expande: do Piemonte à Toscana, à Sicília e a Abruzzo. O GD se torna o terreno ideal para uma mudança de rumo nos processos de produção. A empresa introduz o "vácuo descartável" e inicia os consumidores a reciclar vidro. Assim começa o caminho "verde" que não terminará com o tempo.

Nas décadas de oitenta e noventa, o mercado consolidado na Itália parece além da fronteira. Alemanha, Holanda, Bélgica, Luxemburgo e depois foram para Moscou. Nesse período, a "dama" nasceu e a garrafa de cinco litros com um anel no pescoço criada por Nando Caldirola entrou na história dos recipientes para vinho. É um formato aceito com sucesso na Itália, mas que se tornará o emblema da empresa no exterior. A antiga União Soviética se torna um destino frequente para viagens comerciais e Gorbachev, na Itália, brinda com Prosecco Caldirola quando a empresa já se casa com o esporte. Garrafa da Copa do Mundo

Em 2000, a expansão empreendedora alcançou o merecido sucesso: a liderança italiana no moderno canal de distribuição em larga escala para o setor de vidro. Mas os primeiros cinco anos provaram ser um período de grande transição para a administração dos negócios da família: Nando vendeu a vinícola por três gerações. Agora, em Caldirola, um novo caminho foi iniciado, liderado pelos empresários que compõem a nova estrutura da empresa. A nova gestão, com forte impressão enológica, garante novos objetivos no mesmo caminho de sucesso: tendência de crescimento no mercado nacional, fortalecimento das exportações, lançamento de novos produtos em tendência com as demandas do mercado, excelente relação custo / benefício, mix de serviços adaptados aos sinais da distribuição organizada. Inúmeras parcerias com vinícolas e consórcios italianos para a compra de vinhos de qualidade. A cuidadosa seleção de videiras regionais levou à expansão da marca La Cacciatora. As escolhas de marketing verde continuam em favor da sustentabilidade ambiental. Algumas garrafas são mais leves e são feitos investimentos em favor de associações ambientais. A combinação de vinhos esportivos e Caldirola nunca parou e o futebol ainda é o campo mais próximo da empresa. O futuro que avança é a abertura de novos cenários comerciais que consideram as exportações o principal ator. Se na Europa o objetivo foi alcançado com a conquista das grandes marcas, a América e a Ásia são os mercados mais interessantes para explorar. Para ser cada vez mais em todo o mundo, a casa de vinhos da Itália.

Especificações

Vinhos
Nacionalidade Asti Piemonte - Itália
Tipo Sobremesa Doce
Uva Moscato
Volume 750ml
Detalhes Luminoso amarelo palha com nuances dourados. Aroma delicado e envolvente. Vinho distinto e fino em boca é doce e muito frutado.
Teor Alcoolico 5,5%
Temperatura de Serviço 05°C - 07°C
Harmonização Excelente acompanhamento para sobremesas, sobretudo tortas de frutas assadas.
R$230,00
Sem impostos: R$230,00